Foto: Divulgação

A Polícia Civil cumpre na manhã dessa quinta-feira (6) mandados de busca e apreensão em um hotel de luxo em Araguaína, norte do Tocantins. O objetivo é investigar se a dona do local, Kátia Borba Neves, é funcionária fantasma do governo do Estado. A operação foi chamada de Caterse e apura prejuízo de R$ 250 mil aos cofres públicos.

A investigação está sendo realizada pela Delegacia de Investigação Criminal de Araguaína (Deic). De acordo com a polícia, Kátia Neves é concursada como farmacêutica desde 1994. Em 2016, no Governo de Marcelo Miranda, a dona do hotel foi cedida da Secretaria Estadual da Saúde para a Secretaria de Governo, mas nunca exerceu a função.

Os agentes da Políca Civil estiveram no hotel por mais de duas horas na manhã desta quinta-feira e recolheram documentos. Mandados também foram cumpridos na casa da empresária, que não foi encontrada pela polícia.

O nome da operação faz referência a palavra grega Cartase, que significa limpeza ou purificação. (Com informações do G1)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.